Creme Quase Brûlée

Por em

Creme Quase Brûleé

Na verdade, é quase um creme de confeiteiro melhorado ou um creme brûleé mais simples. Só sei que ficou uma delícia mesmo sendo algo tão simples. E tudo por causa exclusivamente de um único ingrediente: fava de baunilha.

Na hora rolou até uma certa emoção além da conta, pois nunca havia usado o ingrediente. Será que vai dar certo, será que vai atingir as minhas expectativas, será que vale o preço? Superou. Terei que comprar algumas quando for em São Paulo, pois vale todo o investimento e tem o poder de melhorar qualquer receita.

A consistência do creme não ficou sólida, está mais para semi-sólida grosso. Não quis colocar maisena para engrossar, pois usei 4 gemas para tal. Receita original é de creme brûleé do volume “cremes, pudins e musses” da coleção “A Grande Cozinha” que adaptei para os ingredientes que tinha em mãos.

Grau de dificuldade: é só misturar.

Ingredientes

  • 200g de creme de leite pasteurizado (pedia 400mL do fresco)
  • 200mL de leite (não pedia, coloquei para completar o volume)
  • 4 gemas
  • 80g de açúcar
  • 1 fava de baunilha

Utensílios: fouet, panela, ramequins, batedeira (opcional)

Modo: corte a fava de baunilha ao meio, raspe o interior e junte (a raspa e a fava) ao leite. Leve ao fogo até começar querer a ferve. Reserve.

Bata as gemas e o açúcar até virar um creme amarelo claro. Junte o creme de leite e bata um pouco, só para misturar, não precisa ficar homogêneo. Retire a fava do leite, e o acrescente ao creme de gemas, açúcar e creme de leite. Bata até ficar homogêneo.

Transfira para a panela que esquentou o leite a mistura, em fogo baixo, mexa até engrossar. Coloque em ramequins e leve para gelar. Rende 4.

Observações
Caso queira um creme mais firme, mas encorpa depois de frio mesmo sem maisena. Reserve metade do leite e dissolva 2 colheres (sopa) de maisena, acrescente quando a mistura voltar para a panela.

Antes do creme gelar, achei que estivesse muito doce. Porém, ao prová-lo frio o sabor adocicado ficou naquela linha tênue de no ponto ou muito doce. Particularmente, eu gostei. Mas caso queira diminuir fique entre 60-75g, menos do que isso creio que vai faltar.

Não bruleei por não ter maçarico e não tava fim de estragar talheres para isso. Para ter o caramelo no topo é bem mais fácil fazer o caramelo na hora e despejar em cima, não? Caso acrescente caramelo, diminua o açúcar.

Fava de baunilha: confesso que só usei metade dela! *shame on me* A gente dá um desconto, né. É a minha única fava e eu ganhei da Marizé. Quero usar em outras receitas também. E mesmo assim a fava é “forte”, aromatizou legal. Ao abrir o pacote já saiu o cheiro característico. O preço no Brasil varia entre r$5 a r$20 reais dependendo do local de compra e do tipo.

E maisena com Z é marca registrada.

Compartilhe!

Dicas de Compras

O Livro da Cerveja
Ratio
Thomas Keller – Under Pressure: Cooking Sous Vide
Blu-ray: Julie and Julia

Confira toda a ESTANTE!

15 Comentários (Deixe o seu!)
  1. Sem Avatar nysa:

    hum… deve ser uma delícia. beijocas

  2. Sem Avatar Aline Berg:

    Vitor, você gostou é!? Da baunilha de verdade??? Engraçado, meu namorado comprou há algum tempo no $upermercado aqui perto onde tem tudo (por uma fortuna!!!!), mas…
    Então, adivinha qual foi a primeira receita que ele fez???? Bingo! Creme Brulée. Nós estávamos quase eufóricos…rs…imagine, prque eu também nunca tinha provado a baunilha de verdade, não por não encontrar, mas por ser muitíssimo caro por aqui. Pena que eu não achei tão maravilhoso assim como esperava, ele amou, adorou, mas eu esperava mais da bendita. E olha que ele fez a receita original, inclusive o creme de leite fresco. !? O aroma era fantástico, mas o sabor deixou a desejar. Igual a churrasco, o cheiro é melhor que o gosto.
    Será que o meu paladar se acostumou tanto assim com o sabor artificial??? Eca! :(

  3. Sem Avatar Aline Berg:

    By the way….physalis é uma delícia!
    Se você as comprou frescas, uma sugestão: faça um ganache de chocolate preto com creme de leite, deixe esfriar um pouco e na hora de comer mergulhe o physalis neste creme….Huhuuu. É o que há!

  4. Ai que delícia…

    Olha, qdo eu uso a fava, lavo, e deixo secar bem e ponho num pote com açúcar e esqueço lá.
    Depois de uns meses, voilá, açúcar baunilhado! Não vale ficar mexando toda a hora pra ver/cheirar.. Vou podo uma nova, acrescentando açúcar, retirando a velha… ‘eternamente’ !!

    Beijinhos,

  5. @nysa: ficou mais gostoso do que eu imaginei. :) Agradeço a visita e o comentário.

    @Aline: sério? Que pena! Eu gostei tanto… recomendo que tente de novo! Pode ter sido a variedade de fava, existem Bourbon, Mexican e a Tahitian.
    Physalis, eu achei tão sem gracinha também… para falar a verdade, o gosto mesmo nem senti direito quando comprei. É igual aos mirtilos: bonitos, mas sem tanto gosto relevante.

    @Laurinha: eu ia fazer isso, mas vou aromatizar vodka para ter uma espécie de extrato de baunilha, hehehe.

  6. Que delícia……adorei.
    Bjcas para ti.

  7. Sem Avatar Michel:

    Sr. Vitor Hugo. Vamos a aula.

    anote
    CREME BRULÉE

    400g leite
    400g creme de leite fresco
    1 fava baunilha
    160g açúcar
    9 gemas

    Coloque no fogo o leite, o creme de leite e metade do açúcar. Separadamente misture as gemas com o resto do açúcar até triplicar de volume e branquear bem, coloque a baunilha. Adicione o leite quente e misture bem. Coloque no ramequis (potes para) e asse a 150ºC de 10 a 15 minutos. Fazer o caramelo com o maçarico.

    Adicione o leite em fio nas bordas do bowl, pois a gema coagula à 68ºC.
    O fouet serve para aerar. cremes são densos, sem bolhas, portanto não use fouet. Ok.
    Agora volte pra cozinha e faça tudo novamente.
    Abraços

  8. De facto, baunilha de verdade faz toda a diferença… :-)

  9. Estou super feliz pelo facto da baunilha de ter causado essa emoção.

    Eu também tenho o meu extracto e açucar baunilhado com as vagens usadas, é precioso demais para desperdiçar.

    Beijocas

  10. ainda há uma tacinha para mim?
    bigadu

  11. Sem Avatar Carla:

    Comprei minhas primeiras favas na última viagem a São Paulo e ainda não tive coragem de usar. O que também acontece com meus pistilos de açafrão. São tão preciosos e tão difíceis de encontrar por esses lados que eu fico regulando =)

    Mas esse creme brulée tá muito do apetitoso. Acho que vou inventar uma ocasião especial aqui, para usar as favas. Talvez o “dia de usar as favas de baunilha”!

    =)

  12. @Fabrícia: seja bem vinda! Agradeço a visita e o comentário! =)

    @Michel: ahhh, chef não briga comigo não, heheh Prometo que da próxima vez faço a receita clássica! Mas ainda vai ser sem caramelo, comprar maçarico SÓ para isso é demais para minha falta de posses… =(

    @Elvira: e num é que fazem? Não é à toa que meio mundo as usa, queria ter agora o extrato verdadeiro de baunilha.

    @Marizé: pior que é verdade, parecia criança com brinquedo novo (o que não deixa de ser verdade). Quero colocar a fava num pote com vodka para ter um extrato feito em casa, heheh

    @Risonha: acabou! =D Quem sabe da próxima vez?

    @Carla: eu estava no dilema, usar ou não usar? Por ser a minha única e exclusiva fava! Mas vale a pena, eu gostei e muito… e lá vai eu gastar com elas, heheheh

  13. Sem Avatar Nadia:

    Oi, Vitor! Baunilha verdadeira é a melhor coisa que existe! O aroma e o sabor não tem igual… Mudando de assunto, queria te perguntar uma coisa: vale a pena encher o blog desses anúncios, tipo AdSense e coisas assim? Eu sempre tenho a impressão que é muita poluição visual…

  14. @Nadia: o adsense não me rende muita coisa, deixo como forma de avaliar a visitação indiretamente. Mas tem gente que consegue faturar e muito bom ele. Com o Submarino tive os melhores resultados. Poluição é, mas tem que ter bom senso para não atrapalhar o conteúdo.
    Putz, falou que o meu blog é poluído, magoei! uheuehueheu =P

  15. Sem Avatar Nadia:

    ahahhahahha… tadinho, magoou… não, o teu não chega a ser poluído, mas acho que o dono do blog não tem controle, pq os caras vão colocando os anúncios aleatoriamente, não é assim que funciona? vc não escolhe o anúncio nem olugar… qd vê tá lá aquele monstrengo enfeiando teu blog…

Trackbacks/Pingbacks

  1. Petit Fours: Mini Sobremesa de Merengue » Prato Fundo

    [...] Fazia tanto tempo que não assava merengue/suspiros em casa.. a última vez, morava ainda no Paraná. Escolhi fazer esse petit fours para aproveitar as duas claras que sobraram das gemas do Creme Quase Brûlée. [...]

Comentários fechados no momento. Caso queira, entre em contato.

«

»