Receita : Sal & Pimenta

Torta de Frango e Palmito

Por em | #8

Torta de Frango e Palmito

Neste feriado prolongado fui novamente para Londrina, e minha irmã me colocou para trabalhar. Queria, por que queria comer torta de frango e palmito. Confesso que não ficou a coisa mais bonita do mundo, mas ficou gostosa! :D Básica, básica, mas vamos lá.

Grau de dificuldade: só precisa de um pouco de paciência.

Ingredientes

  • 3 receitas da Patê Brisée (massa podre salgada)
  • 1kg de frango cozido e desfiado (usei coxa e sobrecoxa)
  • 1 cebola grande picada
  • 2 tomates médios picados (sem pele e sem semente)
  • 1 vidro de palmito
  • 1 lata de milho verde escorrido
  • Azeitonas sem caroço picadas
  • 50g de manteiga
  • 50g de farinha de trigo
  • 250-300 mL do caldo de cozimento do frango
  • 1 ovo para pincelar
  • Temperos a gosto

Utensílios: panela de pressão, assadeira, panela.

Modo: coloque o frango para cozinhar na panela de pressão com água suficiente. Pode usar o corte que desejar, como não tinha sobras de frango e só tinha filé, particularmente, acho um desperdício usar filé para desfiar. Mas.. você que escolhe! =D Conte 15 minutos depois que começar a chiar.

*Caso for usar o palmito, deve fervê-lo, como se fosse conserva, sabe? Coloque o vidro numa panela com água e deixe ferver por uns 15 minutos. Para que isso? Para neutralizar a toxina botulínica se estiver presente. Após pique.*

Nesse meio tempo, você pode fazer a massa podre (Patê Brisée) que é a mesma coisa da Patê Sucrée, mas sem açúcar. E reserve na geladeira. Ah, fiz 3 receitas por que o refratário da minha irmã era ogro de grande e não tinha nada meio termo.

Nisso, o frango já cozinhou, não? Deve estar “derretendo”, né? Então, desfie-o todo sem dó nem piedade! E não jogue fora o líquido do cozimento não!

Na panela, coloque a manteiga e deixe derreter. Acrescente a cebola, refogue até ficar transparente. Junte a farinha de trigo e refogue também, mas não deixe queimar. Aos poucos acrescente o líquido do cozimento do frango, deve ficar como um mingau não muito líquido. Em seguida junte o frango, tomate, palmito e tempere (sal, pimenta, noz-moscada). Se quiser dar uma cor mais interessante (fica um pouco branquelo) pode colocar molho de tomate ou colorau. No final, o milho verde e as azeitonas picadas. Reserve.

Pré-aqueça o forno em 180-200°C. Agora a massa: divida em duas parte, uma será a base e a outra a “tampa” da torta. Forre o fundo da assadeira/fôrma, e lembre-se que massa podre encolhe um pouco, e não se esqueça de fazer furinhos com o garfo. Como a torta era grande, pré-assei a base da torta, deixei por 10-15 minutos a 180°C. Após, coloque o recheio e cubra com a tampa. Pincele o ovo na torta. Faça um corte central ou cortes decorativos para o vapor sair. Asse por 45 minutos ou até ficar dourado (o tempo pode variar de acordo com o tamanho da sua torta.. a minha era grande)

Sobrou um pedaço para o dia seguinte… se quente estava ótima, gelada ficou de babar. ;D

Né, pensa abrir Patê Brisée na mão, sem rolo.. sem nada. Poderia ter ficado pior, não? hahaha

Compartilhe!

Blog

Alginato: Onde achar?

Por em | #19

Alguma alma caridosa que por ventura passa pelo Prato saberia me dizer onde eu posso encontrar no Brasil: alginato de sódio, gluconato de cálcio, cloreto de cálcio e lecitina de soja fácil, fácil? Pois comprar reagentes de padrão analítico é um pouco complicado (leia-se: sabe onde tem eu até sei, por causa da minha formação, ou seja, em distribuidora de reagentes químicos. Mas não vendem para pessoa física)…. Será que em casas de material para sorvete eu acho?

Ágar, esse eu já tenho, heheheh.

Atualização

Eu sei já sei como conseguir o alginato & Cia. para fazer os experimentos. Para saber mais, leia: Molecular: Como se Faz Esferificação.

Compartilhe!

Receita : Açúcar

Sequilho de Canela (Com Fécula de Mandioca)

Por em | #12

Sequilho de Canela (Com Fécula de Mandioca)

Tenho quase certeza absoluta que vi em algum lugar sequilho de canela ou era alguma outra coisa do gênero (ou então, surtei mesmo). Outra diferença (ou não): feito com fécula de mandioca e não com amido de milho que é o mais comum.

Apenas adaptei a receita da Karen (do Kafka) que usava polvilho doce, mas como não tinha mais em casa e a fécula estava parada mesmo, por que não arriscar? Uma vez que, em tese, é tudo a mesma coisa.

O resultado foi excelente! Ótima a dica da Karen (que fez aniversário semana passada). Não ficou devendo em nada ao de amido de milho, desmancha que é uma beleza. Para o chá ou café da tarde é um pedida em tanto.

O toque de canela dá um tchan diferenciado ao biscoito. Quando repetir a dose, vou testar com gengibre, hummm… ;D

Grau de dificuldade: misturar, sovar, modelar e assar!

Ingredientes

  • 100g de manteiga à temperatura ambiente
  • 3 xícaras de fécula de mandioca (peneirada)
  • 8 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 colher (chá) de fermento em pó
  • 1 ovo
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher (chá) de canela em pó (Opcional)*

Utensílios: tigela, fouet, colher

Modo: pré-aquecer o forno em 180°C. Bater a manteiga, açúcar, ovo e sal por uns 6 minutos (se for na batedeira seriam 3 minutos, fiz no fouet mesmo. Bati a manteiga e o açúcar sozinhos primeiro, depois acrescentei o restante).

Misture a fécula com o fermento. Na receita original eram 2 xícaras e meia de polvilho doce, como foi usado aqui a fécula precisei colocar mais meia xícara para dar o ponto, pois havia ficado bem mole, impossível de modelar (estava num ponto que poderia ser usada a manga de confeitar).

Sove por 10 minutos ou até a massa ficar lisa e uniforme. Já com a massa, dividi em duas partes quase iguais. Em uma delas, acrescente a canela, e prove para saber se o paladar ficou ao seu gosto.

Numa assadeira untada (se quiser forre com papel alumínio ou papel manteiga, usei este último) distribua bolinhas da massa e achate com um garfo para fazer os sulcos. Asse por 15-20 minutos ou até que dourem. Deixe ficar morno e desenforme.

Humm.. com café ou chá. =D~

Sequilho de Canela (Com Fécula de Mandioca)

Compartilhe!

Na Rede

Não creio: Arroz di Catiguria!

Por em | #1

Nem deveria postar isso agora, mas não pude evitar. =X

No site do Mais Você tinha uma chamada para um prato, Arroz di Catiguria, logo imaginei que se tratasse de um feito durante o curso, mas conhecia com um nome mais peculiar.

Por sorte (ou azar?), a receita tem vídeo da Ana Maria falando… e todas as minhas dúvidas foram sanadas! É o mesmo prato, mas no programa ela não disse o nome de verdade, só deu a entender….

Espero que ninguém se choque, porém o nome é: arroz de pu*a rica! Hahahah

Compartilhe!

Receita : Açúcar

Brigadeiro Quase Tradicional

Por em | #22

Brigadeiro Quase Tradicional

Nos últimos tempos a moda em recepções e coisas do gêneros são os chamados “food fingersfinger food que são na essência canapés e acepipes para se comer com as mãos e fazer o mínimo de sujeira. Dentro desse novo (?) conceito de servir caiu no gosto de todo mundo o brigadeiro de copinho, mas não custa nada lembrar do brigadeiro “old skool“. Ah, não estou aqui para julgar o copinho, pelo amor de Vatel. Porém, que vai ou já virou arroz de festa não há como negar, né? ;P

Digo quase clássico, pois nessa versão vai creme de leite. Dica cantada pela vizinha (será que é da parede amarela?) de uma colega lá no trabalho. E qual a diferença? Basicamente fica mais cremoso e melhora a patabilidade (paladar) do docinho por causa da dose extra de gordura.

Grau de dificuldade: não queria caçoar.. mas tipo é brigadeiro?!? Mole, mole.. quer dizer no ponto.

Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata ou caixa de creme de leite
  • 1 colher (sobremesa) de manteiga
  • 1 colher (sopa) de cacau em pó*
  • Chocolate granulado para acabamento

Utensílios: panela, colher.

Modo: tudo dentro da panela e em fogo baixo mexa até adquirir consistência (quando mexe consegue ver o fundo da panela sem dificuldades). Enfatizo que por ter creme de leite, demora bem mais para dar o ponto. Deixe esfriar, enrole e passe no granulado.

Como vai creme de leite, o rendimento aumenta um bocado e demora um pouco mais para dar o ponto de brigadeiro. Se for para crianças, use chocolate em pó ou achocolatado (*heresia!* É necessário acrescentar mais para obter uma coloração mais interessante.), pois o cacau em pó não tem açúcar, ou seja, o brigadeiro não fica tão doce e, particularmente, com pouco já fica excelente.

Compartilhe!

Páginas 1 2 3 138 139 140 141 142 143 144 153 154 155