Cobertura do Semana Mesa SP 2009 [Atualizado]

Semana Mesa SP 2009: Coletiva de Imprensa

Uma semana mergulhado no mundo da gastronomia, não será fácil sintetizar tudo que assisti e presenciei. Tanto conhecimento reunido de uma só vez, tantas pessoas. Foi incrível! Tive a oportunidade de cobrir tanto o Mesa Tendências quanto o Mesa ao Vivo, tentei me dividir entre os dois. Assisti uma palestra aqui e corre para uma aula acolá.

No Mesa Tendências, as apresentações mais marcantes foram: Claude Troisgros, Rodrigo Olivera e Ana Luiza Trajano, Jordi Roca, Tsuyoshi Murakami, Mari Hirata, Roberta Sudbrack. Claro, não tirando o mérito dos outros chefs. Tanta informação que ficamos inebriados de estar lá, participando e tentando absorver um pouco desse time.

O tom desde ano bateu na mesma tecla: produto de qualidade e técnica. Porém, nas entrelinhas era possível perceber um certo contra-peso em relação ao ano passado que o foco ficou na vinda do Ferran Adrià, além da tarja de que a “cozinha molecular” seria do mal. Ainda sinto que muita gente não captou o sentido dela, não se dá nem o trabalho de conhecer e já descarta essa vertente.

Semana Mesa SP 2009

Entretanto, as apresentações de Carlo Cracco e Jordi Roca bebem da mesma fonte que o Adrià, guardada as devidas proporções. Eles se apóiam mais em técnicas do que em reagentes, mas não deixam de ser inovadoras. Um dos chefs franceses cozinham ostras no microondas, por exemplo, e disse que não há método melhor!

Falando no Jordi, confesso que não botei muita fé no rapaz. Mas já dizia o velho ditado: não julgue um livro pela capa. Este chef espanhol sabe entreter seus comensais (no caso, platéia) e o que mostrou foi de impressionar: sorvete feito com a fumaça de charuto (brincou que a ideia original era com outra coisa, hahahahah), uma beterraba feita de açúcar e uma sobremesa inspirada em perfume. Utiliza muitos processos básicos da química e da cozinha clássica, mas com uma linha mais inovadora.

Definitivamente, não tem como não gostar do Claude Troisgros. Na apresentação, ele parecia estar tão feliz (mesmo levemente resfriado), simpático, brincou com a platéia, ironizou o tempo e, claro, contou a sua história. A bagagem gastronômica da Família Troisgros não dá para discutir. Se eu já gostava, passei a gostar mais ainda.

Semana Mesa SP 2009

Mari Hirata surpreendeu muito, o conhecimento dela na arte do fabrico de pães é de tirar o chapéu. Tinha uma concepção bem diferente dela. Mais tarde comentarei mais sobre, além do fermento natural que ganhei.

Semana Mesa SP 2009 Conheci ao vivo Roberta Sudbrack que apresentou o seu famoso quiabo com camarão e o caviar vegetal (as sementes do quiabo). De uma simplicidade absurda, mas extremamente surpreendente! Não, não provei o executado pela chef, mas uma versão feita pelo Leo do Trivial ou Nem Tanto. Uma pena que a estada da chef foi corrida, trocamos algumas palavras, apenas.

E realmente, o público-alvo do Tendências é o pessoal do mercado mesmo, sendo cozinheiros, donos de estabelecimentos e afins. Para quem não é da área pode ficar um tanto perdido, digamos. Mesmo tendo sido excelente, existem pontos a serem melhorados, como: tempo e decidirem o que desejam com as palestras. Como assim?

Bom, as palestras em si eram uma demonstração de algum (ou vários) prato, uma ou outra o chef apenas falava. Considerando que em nenhum dia começou na hora, o que atrasava todo o cronograma, os palestrantes tinham que acelerar o passo, mas ao mesmo tempo se desejava a participação da platéia. O que dentro da equação geral não dava lá muito certo. Além da equipe de apoio que não falavam a mesma língua, nas últimas apresentações só era possível faze 2 perguntas, mas parece que nem todos tinham isso em mente.

Fiquei impressionando com a estrutura do evento, veja bem, boa parte dos chefs eram estrangeiros e na sua maioria franceses. Assim, existia tradução simultânea via fone de ouvido. Mesmo com alguns pontos a serem revistos, no geral, estava bem organizado.

Já o Mesa ao Vivo fica responsável por agrupar os expositores do evento (a grande maioria de bebidas), e as aulas-degustação. Algumas muito voltadas para o público sem conhecimento prévio em cozinha, outras com uma exigência um pouco maior. É interessante para ver de perto o trabalho de pessoas do mercado de uma maneira um pouco menos formal, aproximar o público do chef, digamos.

Falar de comida sem mencionar as pessoas não existe propósito. Tive a oportunidade de conhecer, de verdade, tantas pessoas que converso via blog ou twitter. Não irei listar, pois tenho certeza que irei esquecer alguém, então, prefiro evitar essa gafe de memória. Mas foi ótimo conversar com esse pessoal mesmo que rapidamente, valeu muito a pena.

Nos vemos na edição de 2010, assim, espero!

Semana Mesa SP 2009

Você lendo o PratoFundo: site totalmente independente sobre comida possível com receitas para o dia a dia, ocasiões especiais, e associado a Ciência de Alimentos. Gostou do nosso conteúdo? Você pode ajudar, APOIE O PRATOFUNDO!
Artigo por: Oi, Eu sou o Vitor Hugo!

Farmacêutico, Produtor Gastronômico e Comunicador de Ciência de Alimento. Uma combinação diferente, né? Vem saber mais…

Deixe um comentário

Por causa das mudanças de privacidade feitas na Comunidade Europeia, o seu comentário não irá aparecer imediatamente, caso a opção de salvar os dados não for marcada.

Seu email não será publicado. *Campos obrigatórios.

10 Comentários (Deixe o seu!)
  1. Renata,

    Err… você leu o artigo em que falo sobre o sorvete de banana? Nele está escrito tudo, além da receita, claro. https://pratofundo.com/sorvete-de-banana-caramelada-tuiles-de-canela/

  2. Pérola,

    O tempo varia de acordo com a base de sorvete utilizada, assim como a textura final. Não, ele não fica “semi-congelado”. O sorvete ganha consistência, fica pastoso nos sorvetes a base de leite e creme de leite. Já os sorbets podem variar o causa de consistência.

    Sugiro a leitura do manual da sorveteira, sim? http://useandcares.hamiltonbeach.com/files/840120600.pdf Lá tem todas as informações necessárias.

  3. Ai Vitor, amei esta leitura

  4. Pra quem gosta de cozinhar, é um prato cheio!

    Tenho um blog sobre comida também, chama Fast Food de Pobre e vocês estão linkados lá. Visitem!

    Abrassssssssss!

  5. Vítor,passeando pelo mundo dos sorvetes te achei!!!!!!!!!!e adorei!!!!!!!!!!comprei uma sorveteira igual a tua,só que minha primeira experiência foi um desastre,achei que a sorveteira ia parar de bater qdo o sorvete estivesse pronto,nisso tudo ele bateu aumentou o volume ,bateu mais,diminui o volume e deu quase uma hora batendo,ai virou agua..e eu desisti….mas vendo seu sorvete me deu vontade de arriscar novamente….tira uma dúvida minha,o sorvete já sai se-mi-congelado da sorveteira?qto tempo mais ou menos ele tem que ficar batendo?e qual a sua consistencia?Desculpe tantas perguntas…..Mas desde ja muito obrigada, e com certeza ja ta favorita-do…..bjos

  6. Vitor,
    Foi um prazer conhecê-lo pessoalmente.
    Também comecei a escrever sobre o evento lá no blog (digamos que um pouco atrasado…rsrs).
    Abraços,
    Bergamo

  7. Vitosr, me conta uma coisa.. Como você conseguiu fazer o sorvete de banana?! Já fiz dois e foram os 2 piores sorvetes que já tomamos!

    Depois passa lá no blog e me diz!!!

    Beijinhos!

  8. Victor, tento acompanhar sempre o seu blog, esse ano termino o ensino médio e vou tentar fazer uma faculdade de gastronomia, e vi que você fala muito sobre cozinha molelcular, queria saber a importancia das aulas de quimica que você teve na escola agora no seu dia a dia.

    Obrigado!

  9. Vitor
    Parabens pelo seu super blog! E foi muito bacana te conhecer pessoalmente. A sua percepção quanto ao evento é perfeita. Espero que nosso encontro seja o primeiro de muitos, creio que nós que gostamos tanto de gastronomia e respiramos gastronomia temos de nos mobilizar, trocar informações e criar alicerces para que em um futuro proximo sejamos referencia, mesmo com nossas dificuldades mas lembrando que temos muitas,mas muitas qualidades que devem ser exploradas! Viva a gastronomia e viva ao Brasil!
    Abraços
    Patricia Fontana (Grande Hotel São Pedro – Hotel Escola SENAC)

  10. Sabe o que é legal? Toda segunda-feira a Roberta Sudbrack abre o restaurante dela e dá aula para um grupo de pessoas pequeno por um precinho até que legal se levar em conta que terá vinhos de acordo com o cardápio. Eu to indo no grupo de dezembro, porque ganhei do pessoal do escritório que sabe que eu gosto de cozinhar. To super ansiosa!
    Beijos!
    Luciana