Semana Mesa SP 2014

Semana Mesa SP 2014: Confira tudo!

A Semana Mesa SP é o evento que sempre tento me organizar para conseguir ir. Para quem não conhece é realizado em São Paulo, numa parceria entre o Senac (campus Santo Amaro) e a revista Prazeres da Mesa.

A edição de 2014 foi diferentes dos anos anteriores, a duração foi reduzida em um dia. Mas as atividades continuaram bem recheadas com a vinda da comitiva espanhola em peso por assim dizer. E como a gente quer fazer aquela cobertura bacanuda fica pra lá e pra cá.

Raramente me deixo levar por momentos de fangirling, mas há ocasiões que merecem! Conseguir estar na presença de chefs como Joan Rocca e Ferran Àdria é uma delas. Peguei um autografo do Rocca no livro lindo dele (comentei no video de recebidos) e Ferran tirei foto. Afinal, ir nos restaurantes deles é praticamente fora da minha realidade. Ainda mais do Ferran, o elBulli não existe mais. Pra melhorar, só trabalhando com eles!

Mesa SP 2014: Meu mais novo BFF!

O foco do evento bateu na tecla do pequeno produtor e incentivo para os nossos ingredientes. Buscar valorizar a cultura alimentar brasileira com os inúmeros produtos típicos, mas por questões de legislação não podem ser comercializados. Aqui a discussão fica interessante. Por mais que eu entenda que seja necessário, é preciso observar a o contexto geral (ou como os gringos dizem the big picture).

Na palestra do Jeffinho Rueda (Attimo) focou na receita de galinha cabidela em que vai o sangue dela. Ah, sim. A galinha usada foi abatida ao vivo (por assim dizer). Eu, particularmente, não tenho problemas. Porém, tenho lá as minhas dúvidas se a plateia estava preparada para isso. Saber a procedência da comida é importante, mas nem todo mundo é batizado para receber essa realidade.

Semana Mesa SP 2014

Voltando ao sangue: de modo geral, ele não é comercializado. Não consegui encontrar na Anvisa alguma resolução/lei (a busca do site é horrorosa), de qualquer modo a questão é: eu creio ser bem difícil assegurar a sanidade do produto no Brasil. Ou seja, o produtor consegue me garantir que o produto não causará problemas para o consumidor. A resposta, infelizmente, será não.

Se com um produto mais “fácil” como o leite já é complicado, imagine com material biológico com um alto risco de contaminação igual ao sangue. Por essas e outras que leite cru é proibido no país. E mesmo assim, acontece a venda em cidades menores. Quem compra sabe do risco. Mas o pior de tudo são os casos de adulteração do leite que de tempos em tempos aparecem.

Outro produto que ganhou bastante destaque foi o mel de abelhas nativas que devido as suas características não pode ser vendido. O grande problema dele é a umidade, tem mais água que o mel oficial produzido pela abelha Apis mellifera L.

Semana Mesa SP 2014

E qual o problema disso? Com mais umidade, o produto fermenta naturalmente. Até aí também nenhum problema, mas saber quais microrganismos estão ali é. Além do maior risco de esporos de Clostridium botulinum (a bactéria produtora da toxina botulínica). No mel normal este risco também existe, mas como há boas práticas na produção, ele é reduzido.

Vai parecer meio do contra, mas olhar essas questões de saúde pública sempre ficam em segundo plano. Igual aquele bafafa todo em torno da flor de sal ter sido “proibida” algum tempo atrás (dica: sempre foi e ainda é, diga-se. Leia: Ingredientes: Flor de Sal Sempre Foi Proibida).

Por mais que nós queiramos, é importante observar o contexto. Olha o tamanho do nosso país, é grande, a burocracia é ainda mais.

Semana Mesa SP 2014

Porém, creio que a situação esteja mudado. Encontrei em São Paulo queijo Canastra sendo vendido de modo oficial, tudo por causa do projeto dos centros de cura. No caso do sangue, não sei como ficará. Mas no mel fermentado, digamos que projetos de pesquisa científica serão realizados muito em breve.

O congresso sempre agrega alguma coisa nova. Sai dele querendo ser BFF do Gabriel Vidolin, a palestra do moço foi incrível. E morrendo de vontade de participar da experiência n’O Leão Vermelho. Além de ser uma simpatia que só!

Semana Mesa SP 2014

Teve também Manu Buffara (go, go, go Paraná) e Alberto Landgraf (está em SP, mas é natural de Maringá). Só que do Alberto estou com vergonha, fui almoçar no épice (sim, de novo e sempre que possível). Não fiz por mal, mas fiquei de olho na mesa do lado. Ele percebeu e me trouxe o Uni com Tucupi preto para provar. Preciso ir no menu degustação de ambos.

Semana Mesa SP 2014 Semana Mesa SP 2014

Se as estrelas nacionais e espanholas já não fossem ótimas, este ano conseguiram trazer Michel Bras. Fechou literalmente com a última palestra, incrível.

Semana Mesa SP 2014

Além de toda essa parte séria, teve a parte divertida também! A gente trabalha, mas se diverte. Pude rever os amigos queridos e conhecer no mundo real muitos outros. E claro, comer bastante. Como a gente é do núcleo pobre da novela, guarda o rico dinheirinho pra gastar com comida!

Semana Mesa SP 2014: Galerinha do mal

Felipe e Isa (Fotografando à Mesa), Gabi (Cozinha pra 1), Joana Pellerano (Apetite), Maria (DigaMaria), Luana Budel (Falando Abobrinhas)

Tentei gravar um vlog da semana, mas fiquei com vergonha alheira própria de editar os clipes. Não sou tão corajoso assim, minha gente. Sem video, porém com um batalhão de fotos lá no flickr: Semana Mesa SP 2014.

Artigo por: Oi, Eu sou o Vitor Hugo!

Farmacêutico, Produtor Gastronômico e Comunicador de Ciência de Alimento. Uma combinação diferente, né? Vem saber mais…

Fez ou tem uma dúvida sobre a receita? Comente!

Por causa das mudanças de privacidade feitas na Comunidade Europeia, o seu comentário não irá aparecer imediatamente, caso a opção de salvar os dados não for marcada.

Seu email não será publicado. *Campos obrigatórios.

Um Comentário (Deixe o seu!)
  1. ahahaha Amei o vergonha alheia própria!! Sei bem como é. ;)
    Esse encontro foi muito bom. Que venham tantos outros em 2015!