Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva

Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva

A arte de conservar alimentos acompanha a sociedade desde sempre. Antigamente era uma maneira de guardar comida antes de estragar. Hoje em dia, a questão de sabor é o foco principal.

Apesar das técnicas serem fáceis e simples, é preciso uma atenção redobrada quanto a higiene e seguir todos os passos a risca. Uma produção inteira pode ser perdida.

Na essência é a soma de cuidados no preparo (boas práticas de produção), higiene e altas temperaturas. Passos simples para garantir que aquela geleia ou conserva vai durar o tempo que deve.

Muitas pessoas não levam isso a sério crendo que não tem problema.

Tem.

A partir do momento em que a saúde (e porque não a vida) de outras pessoas estão em jogo, tudo muda de figura. Ao menos, essa é a minha cartilha.

Equipamentos

Vidros e recipientes para conserva podem ser reutilizados se estiverem em condições de uso. Independente de serem novos ou usados é preciso observar se não há nenhum trinco, rachadura e lasca no vidro. E permitam o processo de esterilização. Nem todos os tipos de vidros suportam as altas temperaturas.

Tampa: repitam comigo, sempre usar tampas novas, sempre usar tampas novas… Sim, as tampas precisam ser novas. Ainda mais as encontradas no país. Geralmente, nas lojas de embalagens são vendidas avulsas.

Cada tampa possui uma borracha branca, é um selante sensível ao calor. Junto com o processo de esterilização e a borracha o vidro é vedado, criando o vácuo necessário.

Diferenças na tampa de vidro para esterilização: antes do uso e depois do uso, a borracha mudar de formato

Tampas usadas já tiveram o selante usado. Passou pela etapa de sensibilização calor, o vácuo aconteceu e pronto. Como é visível, ele é deformado.

Os outros utensílios (pegadores, pinças, funil) prefiro que sejam todos de metal não reativo (inox), para esterilizar é melhor e sem o risco de deformarem ou derreterem durante o processo. Em alguns casos há versões de plástico resistentes ao calor, mas a disponibilidade é menor.

Técnicas de Esterilização

Esterilizar Vidros Para Conserva

Foto: Scott Akerman | Creative Commons

Existem várias maneiras, irei comentar apenas sobre duas. Métodos testados e práticos, depende da escolha de cada um. Independente da maneira é preciso lavar muito bem os vidros e as tampas antes de qualquer coisa. Verificar se não existe nenhuma rachadura, lascar, ponto de ferrugem nas tampas.

  • Água fervente: dispor os vidros e tampas sobre uma grade (ou pano de prato limpo) dentro de uma panela e preencher com água que deve passar em 2cm a altura (mínimo) do vidro, ou seja, ficam submersos.
    Então, deixar a água ferver (ponto de ebulição) e contar 10 minutos, esse tempo pode variar dependendo da altitude em relação ao mar de onde você mora. A cada 300 metros acima do nível do mar, aumentar em 1 minuto o tempo de fervura dos vidros.
    Diminua a temperatura, mas mantenha os vidros na água quente até o momento de usar.
  • Forno: colocar os vidros sobre uma assadeira limpa, levar ao forno desligado. Ligar o forno em 200ºC, quando atingir a temperatura, marcar 20 minutos. Após, diminua a temperatura para o mínimo do forno, mas mantenha os vidros no forno até o momento de usar. As tampas recomendo que sejam esterilizadas pelo método de água fervente.

Entre as duas técnicas, prefiro a segunda. Mesmo tendo que esterilizar as tampas em água quente. É mais fácil ferver as tampas do que os vidros, ao menos, para mim. Elas podem ser secas ao forno, mas como a temperatura é mais elevada a borracha selante tende a queimar.

Segunda Esterilização

Esterilizar Vidros Para Conserva

Foto: Colorado State University | Creative Commons

Depois de preencher os vidros com a geleia ou outra conserva do tipo pickles (meio ácido) é necessário esterilizar os vidros já tampados também. Utilizo o método da água fervente com algumas modificações.

Os vidros são colocados quanto a água estiver quente (~70ºC), esperar que a água entre em ebulição e contar de 10-60 minutos. O tempo dentro da água fervente depende do tipo de conserva feita. Produtos mais ácidos, o tempo é menor, por exemplo.

Existe também a possibilidade de esterilizar em panela de pressão própria para canning. Sinceramente, nunca utilizei. No Brasil, o produto até onde eu sei, não é comercializado. O equipamento mais próximo é uma autoclave que nada mais é do que uma panela de pressão gigante, dependendo do modelo, de uso em laboratórios e afins.

Aquele método de colocar o produto quente do vidro, fechar e virar de ponta-cabeça (ou deixar esfriar na posição normal). Normalmente produz o selamento do vidro, mas sem o processo da água fervente como garantia da esterilização, o risco da conserva estragar é maior.

Lembrando que o processo de água quente é válido para produtos com alta acidez (abaixo de pH4,5) que auxilia na prevenção contra esporos de Clostridium botulinum (bactéria produtora da toxina botulínica).

Vale lembrar que são técnicas caseiras e a esterilização obtida não é uma esterilização de fato. Ou seja, a destruição de todas as formas de microrganismos tanto na sua forma vegetativa e esporulada. As condições atingidas não são as ideais para tornar o produto estéril de verdade. Caso acontecesse, há perda na qualidade sensorial e nutricional.

O que ocorre de fato é a esterilização comercial em que o tratamento, se bem realizado, é suficiente para inativar os microrganismos que causam doenças e que estragam o alimento. Entretanto, pode existir ainda uma pequena quantidade de microrganismos resistentes, mas que não conseguem se multiplicar no alimento.

Altitude

Não, não leu errado. No processo de preservação/canning é imprescindível ter cuidado com a altitude. A água ferve de maneira diferente em lugares com maior altitude. Em resumo, a água entra em ebulição à 100ºC ao nível do mar. A medida que a altitude aumenta, a temperatura de ebulição diminui.

Tendo isso em mente, em lugares mais altos o processo de esterilização irá demorar mais tempo para garantir que o produto ficou, de fato, estéril.

Por exemplo, estou a 610 metros acima do nível do mar. Segundo a literatura, a água ferve em torno de ~97ºC. É pouco, apenas 3 graus, mas acredito que cuidado nunca é demais.

Bibliografia

The USDA Complete Guide to Home Canning: USDA é departamento de agricultura americano. Conta com um guia super completo sobre canning. Sempre que tenho alguma dúvida mais técnica, dou uma lida nele.

Food in Jars: é o blog de Marisa McClellan sobre preservação/canning! Praticamente a inspiração para me aventurar nesse mundo. Tem várias dicas sobre o tema e receitas bem bacanas.

Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva
Artigo por: Oi, Eu sou o Vitor Hugo!

Farmacêutico, Produtor Gastronômico e Comunicador de Ciência de Alimento. Uma combinação diferente, né? Vem saber mais…

Fez ou tem uma dúvida sobre a receita? Comente!

Por causa das mudanças de privacidade feitas na Comunidade Europeia, o seu comentário não irá aparecer imediatamente, caso a opção de salvar os dados não for marcada.

Seu email não será publicado. *Campos obrigatórios.

109 Comentários (Deixe o seu!)
  1. gostaraia de saber até qtos dias pode ser guardado o vidro esterelizado antes de ser usado….pode guardar o vidro por alguns dias esterelizados ? e como guardar ? alguem pode me responder?

    1. @João: esse processo caseiro, os vidros devem ser usados imediatamente. Uma vez que esfriam e forem manuseados novamente, a esterilização se perde. Afinal, o ambiente de casa/cozinha não é estéril.

  2. Olá Vítor. Obrigada pela rapidez em responder.
    Desculpe, mas ainda continuo com algumas dúvidas, é que não consegui encontrar as respostas no post que você colocou acima. Em relação se devo secar os vidros já vi em uma resposta sua que não se deve fazer, mas gostaria de saber se devo usá-los ainda quentes ou não. É que já vi vários sites, e nunca explicam muito bem essa parte.
    Alguns dizem até que devemos deixá-los de cabeça para baixo para secar antes de usar. Se pudesse me esclarecer essa dúvida agradeceria imenso.
    É que moro em Portugal, e aqui na região onde vivo é muito difícil encontrar quem faça essas compotas caseiras.
    Mais uma vez muito obrigada.

    1. @Soraya: vamos as respostas!
      1) Secar ou não: quando esterilizava os vidros na água, não os secava. Deixava apenas a água escorrer naturalmente sob uma grade. Caso secar, todo o trabalho de esterilizar é desfeito, né. O pano não é estéril.
      2) Quentes: como esterilizo os vidros no forno, uso ainda quente para ter certeza que está realmente estéril.

  3. Olá Vítor. Boa tarde.
    Achei sua matéria e gostei muito.
    Estou pensando em fazer doce de abóbora com côco em compota para vender.
    Tenho algumas dúvidas. Vidros comprados novos, também devem ser esterilizados? Por quanto tempo? Devo fechar os vidros com o doce ainda quente? Depois de já fechado tem que ser novamente esterilizado por quanto tempo? E qual o prazo médio de validade do doce?
    Desde já agradeço a sua atenção.

    Desculpe Vítor, na pergunta anterior me esqueci de perguntar se devo usar os vidros ainda quente ou devo esperá-los esfriar?
    Devo secá-los? Ou posso usá-los húmidos?
    Mais uma vez muito obrigada.

    1. @Soraya: a validade depende de muitos fatores (esterilização, teor de açúcar…) só testando para saber. As outras perguntas, as respostas estão no texto, sim? :)

  4. Muito proveitosa sua orientação sobre conservação de alimentos. Temos, eu e minha mulher, feito pratos italianos, (sardela, alichela, e outras conservas), e sempre esterelizamos os recepiente conforme aprendi com minha mãe,o que aliás confere com suas instruções, e jamais eles se perderam, pois duram no maximo 5 dias. Nossos amigos, os quais brindamos com nossas conservas, querem que os industrializemos! Mas quer prazer maior do que fazer sem almejar lucro, e presentear os amigos? “Não tem preço”! Abraço.

  5. ola vitor

    acho que formulei mal a minha pergunta, seria o quanto eu devo deixar de ar entre a conserva e a
    tampa

    obrigado e abraços

    1. @jan: ooops, desculpa a demora na resposta! Normalmente deixo mais ou menos aquele espaço da rosca, sabe? Que é mais altinho que o vidro si, deve ser cerca de 0,5-1cm.

  6. ola vitor
    parabens pela otima materia que voce nos forneceu, aprendi muito, mas tenho
    uma duvida quanto ao volume de conserva que devo deixar entre o vidro e a tampa
    aguardo sua resposta e sinceramente desde já te agradeço muito pelo que já aprendi
    até agora

    abraços do jan

  7. Vitor,
    Será que tem como ter uma ideia de quanto tempo duram certos alimentos? Estou fazendo hommus, pesto e geleias para alguns amigos, mas não sei dizer a eles quanto tempo duram antes de abertos e quanto tempo duram depois de abertos.
    Desde já, obrigada!

    1. @Tânia: não existe uma fórmula básica para saber a duração de conservas, varia de acordo com o que está sendo preservado. Tem ingredientes que duram horrores, enquanto outros estragam bem fácil.

  8. Ola Vitor
    Pesquisando pela net, deparei-me com o seu site. Muito bom, meus parabéns.
    Li aqui a sua matéria sobre esterilização. Desde janeiro desse ano que tenho feito experiências com geleias e compotas. Tenho feito a esterilização dos vidros em água quente numa panela grande por 15 min. Os vidros ficam secando depois em cima de uma toalha limpa. Quando o doce está pronto, coloco os vidros no micro por 3 minutos para os esquentar e assim enfrascá-los quentes.
    A minha dúvida é, seria mais econômico esterilizar os potes no microondas mesmo à potência máxima por 3/4 minutos, ao invés dos 15 minutos na água quente e depois ainda esquentá-los para fazer o procedimentos de enfrascamento à quente?
    Ou esterilizá-los à seco no forno por 15 minutos e deixá-los por lá até serem utilizados?
    O que vc acha disso?~
    Método tradicional com água? Método à seco no forno? Ou método mais rápido no micro?
    Só sei que o que tenho gasto de gás é algo…
    Com a sua experiência o que vc acha?
    Abraços
    Lauro

  9. Olá Vitor, tudo bem?
    Em questão aos utensílios utilizados, dependendo do tipo de conserva/compota, ou melhor dizendo,”tipo do alimento”, existem específicos para cada um? Exemplos; aço inox, madeira, teflon…etc. Como podemos saber quando não devemos utilizar aquele material em determinados alimentos? Ou não tem nada a haver?

    Desde já agradeço e parabéns pelos comentários.

    1. De modo geral, sempre usar utensílios de metal não-reativo (inox) que são mais fáceis e práticos para serem higienizados. Pela legislação brasileira, não se pode madeira em cozinhas comerciais.

  10. Olá Vitor!
    Amei sua matéria. Já havia procurado muito a respeito da posição da tampa na hora da esterilização da conserva ( pra baixo ou normal) e vc foi o primeiro – ao menos pra mim – a comentar a respeito. É que há um mito de que se a esterilização não se der com a tampa pra baixo a possibilidade da formação do vácuo seria menor. Já fiz das duas formas, deixei amostras pra testes e no meu entendimento o resultado foi o mesmo. Contudo, sempre tive receio de como fica a longo prazo, considerando que meu período de “prateleira” (doméstica !!!) não ultrapassou os 3 meses.
    Tenho algumas dúvidas. Após a esterilização, qual o momento em que se deve retirar os vidros da panela? Há necessidade de esperar a água esfriar ou só o suficiente para o manuseio? Após retirados, pra quem fez a fervura com a tampa em posição normal, é necessário deixá-los descansar de cabeça pra baixo? Vc conhece o resfriamento posterior de forma lenta, embaixo do jorro da torneira?
    Nossa, acho que te bombardeei, mas sua apresentação é bastante didática e confiável, daí querer tirar com vc essas dúvidas.
    Muito obrigada e por favor, continue nos ajudando. São muitos os “conservistas” -:)) carentes de informações.

    Abraço

    1. Se a conserva não se conservou, alguma coisa de errado há. Na teoria, quando se esteriliza corretamente o vácuo se cria, além de eliminar bactérias/fungos devido ao calor. Se o vácuo não se forma, aí não tem como mesmo, entra ar, e os “bichinhos” fazem a festa.

      Depois que a conserva passou pela esterilização na água (e ficou pelo tempo necessário), apenas retiro e deixo descansar sobre uma grade até esfriar completamente. Sempre deixei do “lado normal”, ou seja, com a tampa virada para cima.

      Ah, isso eu faço com geleias. Para outros tipos de conservas podem haver variações, tá?

      1. Oi, Vitor
        Percebi nas suas respostas a dois posts que quando o pessoal fala que as conservas não duraram muito tempo (um que disse que não durou 5 dias) e esta acima, que disse pouco tempo de prateleira, você entendeu que estragaram, mas não, penso que não duraram porque foram comidos antes, deu ibope, entende?

      2. @Cintia: ixi, será que misturei tudo? hahahah Se foi por ibope melhor, né? :D

  11. Boa tarde, vou fazer geleias e copotas, vidros tenho aos montes, alguns para tampas de rosca mas tbem tenho alguns vidos das antigas que eram lacrados com ferro, gostaria de saber como lacrar esses vidos e como faço caso nao consiga tampas novas. existe alguma outra maneira, ouforma de usas as tampas que ja tenho? Aguardo retrono e obrigada desde ja.

    1. Normalmente em lojas de embalagens que vendem os vidros tem as tampas também, no geral, são vendidas separadamente. Potes antigos, ixi, não sei.

  12. Gostaria de saber onde comprar tampas novas pra vidros usados?

    Grata
    Att
    Rosângela

    1. Em lojas de embalagens geralmente.

  13. Olá, boa tarde,

    Estou adquirindo produtos para fazer conservas/ compotas, e preciso de uma informação: onde posso encontrar um pegador de pote, como esse?
    Obrigado pela ajuda!

    1. Aqui no Brasil não se acha o jar lifter, infelizmente.

  14. Oi Vitor!
    Tenho algumas dúvidas: Fiz o processo de esterização, depois coloquei a geleia de mamão papaya ainda quente, e coloquei com a tampa para cima Esta correto? Não tenho todos os vidros, quanto tempo posso deixa-la na geladeira? Depois para embalar preciso levar ao fogo novamente? Para comercializar qual o tempo de validade? Tenho um pé de carambola no meu quintal, agora é epoca já colhi 3 caixas, agora vou começar a fazer compotas e fico preocupada caso estrague.
    Abraços e parabéns pelo site
    Vera

    1. Vera: a posição que a tampa fica não importa, uma vez que o vidro preenchido será esterilizado em água como descrito no artigo, certo? Sempre que for fazer geleia é preciso ter os vidros em mãos, guardar a geleia e depois colocar no vidro não é recomendado. Ela não estará mais quente, ou seja, não estará mais estéril. A validade varia para cada produto.

  15. Ola….me ajude,,fiz todo o processo de esterilizar os vidros novos com suas tampas,também novas,coloquei os tomates secos que fiz. Coloquei eles pra ferver virados para baixo por 30 minutos.nesse meio tempo todas as toalhas que estavam dentro da panela com os vidros eram azeite puro. O azeite saiu e a água entrou,me ajude, porque isso? Estou abrindo um comércio caseiro, e agora quero dar mais tempo de validade nos meus tomates…..bjs

    1. Marilice, não saberia dizer. Conserva com óleo é diferente de conservas de geleia e do tipo pickles, assim como o processo de esterilização descrito que fica subentendido no texto é para meios aquosos.

  16. Olá, Vitor,

    Tenho uma dúvida. Depois do vidro esterelizado, é necessário secá-lo para poder usar ou podemos colocar a geleia direto no pote ainda molhado.

    Um abraço,

    Elisabeth

    1. Não, caso contrário irá contaminar novamente o vidro.

  17. Ola….estou me sentindo, adorei todos os seus ensinamentos, esta semana mesmo , já vou fazer compota de morango, com muita segurança.Adorei sua maneira de explicar tudo. Bjs ………….adorei vc

  18. Boa tarde.

    Como posso fazer uma conserva de salsichinhas?

    Muito obrigado!

    1. Para fazer conserva de carne exige vários outros procedimentos para assegurar que a o produto não estrague. Não os testei, logo, não tenho como dizer.

  19. Muito legal e importante você abordar esse assunto, Vitor. Eu comecei a ler um livro chamado Homemade Living: Canning & Preserving with Ashley English e tô gostando muito. Ele aborda técnicas, ensina receitas e conta um pouco da história do surgimento desse processo; entender que a conserva representa conservar produtos sazonais parece óbvio mas não é. :) Vou divulgar este post no FB do blog.
    Beijo e ótima semana!

  20. Obrigada pela dica .

    bjs da Eliana

  21. Obrigada pelo post, adoro fazer geleias e compotas caseiras e sempre tive dúvidas quanto a esterilização.
    Vivian, eu compro tampas e vidros novos pelo site casadomel.com.
    Bjs

  22. Adorei a postagem, aqui em casa a gente sempre faz geleia e sempre usamos os vidros que temos guardados. Mesmo sendo estudante de nutrição e tendo usado este método em uma aula pratica de Tecnologia de Alimentos eu nunca havia orientado minha mãe para a importância da esterelização dos vidros reutilizados. Agora vou me atentar mais para este aspecto.

  23. Nossa, eu adorei esse post. Sinceramente, sempre lavei direitinho tudo, fervi os potinhos, mas acabei de perceber que sou uma total leiga no assunto. Nem sabia que as tampinhas são vendidas novas! Preciso descobrir urgente onde vende essas tampinhas aqui no Rio de Janeiro (você sabe? Tem algum site que venda para indicar?). Vou dar uma olhadinha no blog que você indicou.

    1. Normalmente as lojas de embalagens vendem as tampas separadas. Xii, no RJ, eu não sei.

  24. Olá Vitor!! Muito importante abordar esse assunto,tanto para quem utiliza esses recursos para uso doméstico,e ainda mais para quem comercializa, afinal contaminação alimentar é um assunto muito sério….depois que fiz estágio na vigilância sanitária, vi que ainda tem muita coisa errada por aí…. e tomar cuidado nunca é demais!!!parabéns pelo texto, está muito didático e bem explicado.

  25. Mês passado fiz um doce de leite e resolvi fazer o primeiro processo, pois distribui entre os meus familiares- incluindo minha avô, e não queria correr o risco né? Mas não sei se o processo valeu a pena, já que os potes não duraram nem 5 dias. Liguei pra todo mundo para saber se ao abrirem a tampa escultaram o tradicional som do vácuo sair. Penso na próxima vez deixar um para controle e esperar passar uns dois meses, entretanto, não posso negar que terei medo de degustar o doce depois de um tempo, mesmo o dito estando com uma aparência legal. Como ter a certeza de que o doce estará bom depois de alguns meses?

    1. Não escutar o barulho de vácuo não quer dizer que ele não foi feito. Quando disse “não duraram 5 dias”, quer dizer que estragaram/mofaram? Se mofou, existiu falhas durante o cozimento e na esterilização.

      Certeza, certeza. Não há. Aliás, pelo visual (ex.: tem mofo visível? mudou de cor?) e experimentando. São as duas únicas maneiras de saber.