Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva

Por em

Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva

A arte de conservar alimentos acompanha a sociedade humana desde sempre. Antigamente era uma maneira de guardar a comida antes de estragar, hoje em dia é mais por questões de sabor.

Porém, é preciso muito cuidado quanto a higiene e seguir todos os passos a risca. São detalhes que podem colocar a perder toda uma produção.

Na sua essência é a soma de cuidados no preparo (boas práticas de produção), higiene e altas temperaturas. São passos simples para garantir que aquela geleia ou conserva vai durar o tempo que deve.

Muitas pessoas não levam isso a sério crendo que não tem problema. Tem. A partir do momento em que a saúde (e porque não a vida) de outras pessoas estão em jogo, tudo muda de figura. Ao menos, essa é a minha cartilha.

Equipamentos

Vidros/recipientes para conserva: podem ser reutilizados se estiverem em condições de uso e permitam o processo de esterilização. Nem todos os tipos de vidros vão suportar as altas temperaturas.

Independente de serem novos ou usados é preciso observar se não há nenhum trinco, rachadura e lasca. Não sei você, mas comer vidro não faz parte da minha dieta.

Tampa: repitam comigo, sempre usar tampas novas, sempre usar tampas novas… Sim, as tampas precisam ser novas. Ainda mais as encontradas no país. Podem ser compradas separadamente em lojas de embalagens.

Cada tampa possui um aquela borracha branca, é um selante sensível ao calor. Junto com o processo de esterilização e a borracha o vidro é vedado, criando o vácuo necessário.

Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva

Tampas usadas já tiveram o selante usado. Passou pela etapa de sensibilização calor, o vácuo aconteceu e pronto. Como é visível, ele é deformado.

Os outros utensílios (pegadores, pinças, funil) prefiro que sejam todos de metal não reativo (inox), para esterilizar é melhor e sem o risco de deformarem ou derreterem durante o processo.

Antes do uso

Existem várias maneiras, irei comentar apenas sobre duas. Foram as testadas e mais práticas (vai depender da escolha de cada um). Independente da maneira é preciso lavar muito bem os vidros e as tampas antes de qualquer coisa. Verificar se não existe nenhuma rachadura, lascar, ponto de ferrugem (nas tampas).

  • Água fervente: dispor os vidros (as tampas também) sobre uma grade (ou pano de prato limpo) dentro de uma panela e preencher com água que deve passar em 2cm a altura (mínimo) do vidro, ou seja, ficam submersos.
    Então, deixar a água ferver (ponto de ebulição) e contar 10 minutos, esse tempo pode variar dependendo da altitude em relação ao mar de onde você mora. A cada 300 metros acima do nível do mar, aumentar em 1 minuto o tempo de fervura dos vidros.
    Diminua a temperatura, mas mantenha os vidros na água quente até o momento de usar.
  • Forno: colocar os vidros sobre uma assadeira limpa, levar ao forno desligado. Ligar o forno em 200ºC, quando atingir a temperatura, marcar 20 minutos. Após, diminua a temperatura, mas mantenha os vidros no forno quente até o momento de usar. As tampas recomendo que sejam esterilizadas pelo método de água fervente.

Entre as duas técnicas, prefiro a segunda. Mesmo tendo que esterilizar as tampas em água quente. É mais fácil ferver as tampas do que os vidros, ao menos, para mim.

Vidros Cheios

Para armazenar a produção é necessário esterilizar os vidros já tampadas também. É praticamente o método de água fervente, com algumas modificações.

Os vidros são colocados quanto a água estiver quente (~70ºC), esperar que a água entre em ebulição e contar de 10-60 minutos. O tempo dentro da água fervente depende do tipo de conserva feita. Produtos mais ácidos, o tempo é menor, por exemplo.

Existe também a possibilidade de esterilizar em panela de pressão própria para canning, sinceramente, nunca vi uma ao vivo. O equipamento mais próximo é uma autoclave que nada mais é do que uma panela de pressão gigante, dependendo do modelo.

Aquele método de colocar o produto quente do vidro, fecha-lo e virar de ponta-cabeça (ou deixar esfriar na posição normal). Normalmente produz o selamento do vidro, mas sem o processo da água fervente como garantia da esterilização, o risco da conserva estragar é maior.

Lembrando que o processo de água quente é válido para produtos com alta acidez (abaixo de pH4,5) que auxilia na prevenção contra esporos de Clostridium botulinum (bactéria produtora da toxina botulínica).

Altitude

Não, não leu errado. No processo de preservação/canning é imprescindível ter cuidado com a altitude. A água ferve de maneira diferente em lugares com maior altitude. Em resumo, a água entra em ebulição à 100ºC ao nível do mar. A medida que a altitude aumenta, a temperatura de ebulição diminui.

Tendo isso em mente, em lugares mais altos o processo de esterilização irá demorar mais tempo para garantir que o produto ficou, de fato, estéril.

Por exemplo, estou a 610 metros acima do nível do mar. Segundo a literatura, a água ferve em torno de ~97ºC. É pouco, apenas 3 graus, mas acredito que cuidado nunca é demais.

Fontes

The USDA Complete Guide to Home Canning: USDA é departamento de agricultura americano. Conta com um guia super completo sobre canning. Sempre que tenho alguma dúvida mais técnica, dou uma lida nele.

Food in Jars: é o blog de Marisa McClellan sobre preservação/canning! Praticamente a inspiração para me aventurar nesse mundo. Tem várias dicas sobre o tema e receitas bem bacanas.

Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva

Compartilhe!

Dicas de Compras

1001 Comidas para Provar Antes de Morrer
Food52 Cookbook: 140 Winning Recipes from Exceptional Home Cooks
Chewy Gooey Crispy Crunchy Melt-in-Your-Mouth Cookies by Alice Medrich
Sinfully Easy Delicious Desserts

Confira toda a ESTANTE!

85 Comentários (Deixe o seu!)
  1. Sem Avatar Ulysses Salgueiro Borges:

    Mês passado fiz um doce de leite e resolvi fazer o primeiro processo, pois distribui entre os meus familiares- incluindo minha avô, e não queria correr o risco né? Mas não sei se o processo valeu a pena, já que os potes não duraram nem 5 dias. Liguei pra todo mundo para saber se ao abrirem a tampa escultaram o tradicional som do vácuo sair. Penso na próxima vez deixar um para controle e esperar passar uns dois meses, entretanto, não posso negar que terei medo de degustar o doce depois de um tempo, mesmo o dito estando com uma aparência legal. Como ter a certeza de que o doce estará bom depois de alguns meses?

    1. Não escutar o barulho de vácuo não quer dizer que ele não foi feito. Quando disse “não duraram 5 dias”, quer dizer que estragaram/mofaram? Se mofou, existiu falhas durante o cozimento e na esterilização.

      Certeza, certeza. Não há. Aliás, pelo visual (ex.: tem mofo visível? mudou de cor?) e experimentando. São as duas únicas maneiras de saber.

  2. Olá Vitor!! Muito importante abordar esse assunto,tanto para quem utiliza esses recursos para uso doméstico,e ainda mais para quem comercializa, afinal contaminação alimentar é um assunto muito sério….depois que fiz estágio na vigilância sanitária, vi que ainda tem muita coisa errada por aí…. e tomar cuidado nunca é demais!!!parabéns pelo texto, está muito didático e bem explicado.

  3. Nossa, eu adorei esse post. Sinceramente, sempre lavei direitinho tudo, fervi os potinhos, mas acabei de perceber que sou uma total leiga no assunto. Nem sabia que as tampinhas são vendidas novas! Preciso descobrir urgente onde vende essas tampinhas aqui no Rio de Janeiro (você sabe? Tem algum site que venda para indicar?). Vou dar uma olhadinha no blog que você indicou.

    1. Normalmente as lojas de embalagens vendem as tampas separadas. Xii, no RJ, eu não sei.

  4. Adorei a postagem, aqui em casa a gente sempre faz geleia e sempre usamos os vidros que temos guardados. Mesmo sendo estudante de nutrição e tendo usado este método em uma aula pratica de Tecnologia de Alimentos eu nunca havia orientado minha mãe para a importância da esterelização dos vidros reutilizados. Agora vou me atentar mais para este aspecto.

  5. Sem Avatar ANA CLAUDIA LOSI GIL:

    Obrigada pelo post, adoro fazer geleias e compotas caseiras e sempre tive dúvidas quanto a esterilização.
    Vivian, eu compro tampas e vidros novos pelo site casadomel.com.
    Bjs

  6. Obrigada pela dica .

    bjs da Eliana

  7. Muito legal e importante você abordar esse assunto, Vitor. Eu comecei a ler um livro chamado Homemade Living: Canning & Preserving with Ashley English e tô gostando muito. Ele aborda técnicas, ensina receitas e conta um pouco da história do surgimento desse processo; entender que a conserva representa conservar produtos sazonais parece óbvio mas não é. :) Vou divulgar este post no FB do blog.
    Beijo e ótima semana!

  8. Boa tarde.

    Como posso fazer uma conserva de salsichinhas?

    Muito obrigado!

    1. Para fazer conserva de carne exige vários outros procedimentos para assegurar que a o produto não estrague. Não os testei, logo, não tenho como dizer.

  9. Sem Avatar marilce martins da cunha:

    Ola….estou me sentindo, adorei todos os seus ensinamentos, esta semana mesmo , já vou fazer compota de morango, com muita segurança.Adorei sua maneira de explicar tudo. Bjs ………….adorei vc

  10. Sem Avatar Elisabeth Silva:

    Olá, Vitor,

    Tenho uma dúvida. Depois do vidro esterelizado, é necessário secá-lo para poder usar ou podemos colocar a geleia direto no pote ainda molhado.

    Um abraço,

    Elisabeth

    1. Não, caso contrário irá contaminar novamente o vidro.

  11. Sem Avatar Marilce:

    Ola….me ajude,,fiz todo o processo de esterilizar os vidros novos com suas tampas,também novas,coloquei os tomates secos que fiz. Coloquei eles pra ferver virados para baixo por 30 minutos.nesse meio tempo todas as toalhas que estavam dentro da panela com os vidros eram azeite puro. O azeite saiu e a água entrou,me ajude, porque isso? Estou abrindo um comércio caseiro, e agora quero dar mais tempo de validade nos meus tomates…..bjs

    1. Marilice, não saberia dizer. Conserva com óleo é diferente de conservas de geleia e do tipo pickles, assim como o processo de esterilização descrito que fica subentendido no texto é para meios aquosos.

  12. Sem Avatar Vera:

    Oi Vitor!
    Tenho algumas dúvidas: Fiz o processo de esterização, depois coloquei a geleia de mamão papaya ainda quente, e coloquei com a tampa para cima Esta correto? Não tenho todos os vidros, quanto tempo posso deixa-la na geladeira? Depois para embalar preciso levar ao fogo novamente? Para comercializar qual o tempo de validade? Tenho um pé de carambola no meu quintal, agora é epoca já colhi 3 caixas, agora vou começar a fazer compotas e fico preocupada caso estrague.
    Abraços e parabéns pelo site
    Vera

    1. Vera: a posição que a tampa fica não importa, uma vez que o vidro preenchido será esterilizado em água como descrito no artigo, certo? Sempre que for fazer geleia é preciso ter os vidros em mãos, guardar a geleia e depois colocar no vidro não é recomendado. Ela não estará mais quente, ou seja, não estará mais estéril. A validade varia para cada produto.

  13. Sem Avatar Saulo:

    Olá, boa tarde,

    Estou adquirindo produtos para fazer conservas/ compotas, e preciso de uma informação: onde posso encontrar um pegador de pote, como esse?
    Obrigado pela ajuda!

    1. Aqui no Brasil não se acha o jar lifter, infelizmente.

  14. Sem Avatar Rosangela:

    Gostaria de saber onde comprar tampas novas pra vidros usados?

    Grata
    Att
    Rosângela

    1. Em lojas de embalagens geralmente.

  15. Sem Avatar Cristina:

    Boa tarde, vou fazer geleias e copotas, vidros tenho aos montes, alguns para tampas de rosca mas tbem tenho alguns vidos das antigas que eram lacrados com ferro, gostaria de saber como lacrar esses vidos e como faço caso nao consiga tampas novas. existe alguma outra maneira, ouforma de usas as tampas que ja tenho? Aguardo retrono e obrigada desde ja.

    1. Normalmente em lojas de embalagens que vendem os vidros tem as tampas também, no geral, são vendidas separadamente. Potes antigos, ixi, não sei.

  16. Sem Avatar ROSE:

    Olá Vitor!
    Amei sua matéria. Já havia procurado muito a respeito da posição da tampa na hora da esterilização da conserva ( pra baixo ou normal) e vc foi o primeiro – ao menos pra mim – a comentar a respeito. É que há um mito de que se a esterilização não se der com a tampa pra baixo a possibilidade da formação do vácuo seria menor. Já fiz das duas formas, deixei amostras pra testes e no meu entendimento o resultado foi o mesmo. Contudo, sempre tive receio de como fica a longo prazo, considerando que meu período de “prateleira” (doméstica !!!) não ultrapassou os 3 meses.
    Tenho algumas dúvidas. Após a esterilização, qual o momento em que se deve retirar os vidros da panela? Há necessidade de esperar a água esfriar ou só o suficiente para o manuseio? Após retirados, pra quem fez a fervura com a tampa em posição normal, é necessário deixá-los descansar de cabeça pra baixo? Vc conhece o resfriamento posterior de forma lenta, embaixo do jorro da torneira?
    Nossa, acho que te bombardeei, mas sua apresentação é bastante didática e confiável, daí querer tirar com vc essas dúvidas.
    Muito obrigada e por favor, continue nos ajudando. São muitos os “conservistas” -:)) carentes de informações.

    Abraço

    1. Se a conserva não se conservou, alguma coisa de errado há. Na teoria, quando se esteriliza corretamente o vácuo se cria, além de eliminar bactérias/fungos devido ao calor. Se o vácuo não se forma, aí não tem como mesmo, entra ar, e os “bichinhos” fazem a festa.

      Depois que a conserva passou pela esterilização na água (e ficou pelo tempo necessário), apenas retiro e deixo descansar sobre uma grade até esfriar completamente. Sempre deixei do “lado normal”, ou seja, com a tampa virada para cima.

      Ah, isso eu faço com geleias. Para outros tipos de conservas podem haver variações, tá?

      1. Sem Avatar cintia:

        Oi, Vitor
        Percebi nas suas respostas a dois posts que quando o pessoal fala que as conservas não duraram muito tempo (um que disse que não durou 5 dias) e esta acima, que disse pouco tempo de prateleira, você entendeu que estragaram, mas não, penso que não duraram porque foram comidos antes, deu ibope, entende?

      2. @Cintia: ixi, será que misturei tudo? hahahah Se foi por ibope melhor, né? :D

  17. Sem Avatar Carlos:

    Olá Vitor, tudo bem?
    Em questão aos utensílios utilizados, dependendo do tipo de conserva/compota, ou melhor dizendo,”tipo do alimento”, existem específicos para cada um? Exemplos; aço inox, madeira, teflon…etc. Como podemos saber quando não devemos utilizar aquele material em determinados alimentos? Ou não tem nada a haver?

    Desde já agradeço e parabéns pelos comentários.

    1. De modo geral, sempre usar utensílios de metal não-reativo (inox) que são mais fáceis e práticos para serem higienizados. Pela legislação brasileira, não se pode madeira em cozinhas comerciais.

  18. Sem Avatar Lauro Tramujas:

    Ola Vitor
    Pesquisando pela net, deparei-me com o seu site. Muito bom, meus parabéns.
    Li aqui a sua matéria sobre esterilização. Desde janeiro desse ano que tenho feito experiências com geleias e compotas. Tenho feito a esterilização dos vidros em água quente numa panela grande por 15 min. Os vidros ficam secando depois em cima de uma toalha limpa. Quando o doce está pronto, coloco os vidros no micro por 3 minutos para os esquentar e assim enfrascá-los quentes.
    A minha dúvida é, seria mais econômico esterilizar os potes no microondas mesmo à potência máxima por 3/4 minutos, ao invés dos 15 minutos na água quente e depois ainda esquentá-los para fazer o procedimentos de enfrascamento à quente?
    Ou esterilizá-los à seco no forno por 15 minutos e deixá-los por lá até serem utilizados?
    O que vc acha disso?~
    Método tradicional com água? Método à seco no forno? Ou método mais rápido no micro?
    Só sei que o que tenho gasto de gás é algo…
    Com a sua experiência o que vc acha?
    Abraços
    Lauro

  19. Sem Avatar Tânia C.:

    Vitor,
    Será que tem como ter uma ideia de quanto tempo duram certos alimentos? Estou fazendo hommus, pesto e geleias para alguns amigos, mas não sei dizer a eles quanto tempo duram antes de abertos e quanto tempo duram depois de abertos.
    Desde já, obrigada!

    1. @Tânia: não existe uma fórmula básica para saber a duração de conservas, varia de acordo com o que está sendo preservado. Tem ingredientes que duram horrores, enquanto outros estragam bem fácil.

  20. Sem Avatar jan eduardo:

    ola vitor
    parabens pela otima materia que voce nos forneceu, aprendi muito, mas tenho
    uma duvida quanto ao volume de conserva que devo deixar entre o vidro e a tampa
    aguardo sua resposta e sinceramente desde já te agradeço muito pelo que já aprendi
    até agora

    abraços do jan

  21. Sem Avatar jan eduardo:

    ola vitor

    acho que formulei mal a minha pergunta, seria o quanto eu devo deixar de ar entre a conserva e a
    tampa

    obrigado e abraços

    1. @jan: ooops, desculpa a demora na resposta! Normalmente deixo mais ou menos aquele espaço da rosca, sabe? Que é mais altinho que o vidro si, deve ser cerca de 0,5-1cm.

  22. Sem Avatar Gilberto Bruno Puzzilli:

    Muito proveitosa sua orientação sobre conservação de alimentos. Temos, eu e minha mulher, feito pratos italianos, (sardela, alichela, e outras conservas), e sempre esterelizamos os recepiente conforme aprendi com minha mãe,o que aliás confere com suas instruções, e jamais eles se perderam, pois duram no maximo 5 dias. Nossos amigos, os quais brindamos com nossas conservas, querem que os industrializemos! Mas quer prazer maior do que fazer sem almejar lucro, e presentear os amigos? “Não tem preço”! Abraço.

  23. Sem Avatar Soraya:

    Olá Vítor. Boa tarde.
    Achei sua matéria e gostei muito.
    Estou pensando em fazer doce de abóbora com côco em compota para vender.
    Tenho algumas dúvidas. Vidros comprados novos, também devem ser esterilizados? Por quanto tempo? Devo fechar os vidros com o doce ainda quente? Depois de já fechado tem que ser novamente esterilizado por quanto tempo? E qual o prazo médio de validade do doce?
    Desde já agradeço a sua atenção.

    Desculpe Vítor, na pergunta anterior me esqueci de perguntar se devo usar os vidros ainda quente ou devo esperá-los esfriar?
    Devo secá-los? Ou posso usá-los húmidos?
    Mais uma vez muito obrigada.

    1. @Soraya: a validade depende de muitos fatores (esterilização, teor de açúcar…) só testando para saber. As outras perguntas, as respostas estão no texto, sim? :)

  24. Sem Avatar Soraya:

    Olá Vítor. Obrigada pela rapidez em responder.
    Desculpe, mas ainda continuo com algumas dúvidas, é que não consegui encontrar as respostas no post que você colocou acima. Em relação se devo secar os vidros já vi em uma resposta sua que não se deve fazer, mas gostaria de saber se devo usá-los ainda quentes ou não. É que já vi vários sites, e nunca explicam muito bem essa parte.
    Alguns dizem até que devemos deixá-los de cabeça para baixo para secar antes de usar. Se pudesse me esclarecer essa dúvida agradeceria imenso.
    É que moro em Portugal, e aqui na região onde vivo é muito difícil encontrar quem faça essas compotas caseiras.
    Mais uma vez muito obrigada.

    1. @Soraya: vamos as respostas!
      1) Secar ou não: quando esterilizava os vidros na água, não os secava. Deixava apenas a água escorrer naturalmente sob uma grade. Caso secar, todo o trabalho de esterilizar é desfeito, né. O pano não é estéril.
      2) Quentes: como esterilizo os vidros no forno, uso ainda quente para ter certeza que está realmente estéril.

  25. Sem Avatar joao b lucio:

    gostaraia de saber até qtos dias pode ser guardado o vidro esterelizado antes de ser usado….pode guardar o vidro por alguns dias esterelizados ? e como guardar ? alguem pode me responder?

    1. @João: esse processo caseiro, os vidros devem ser usados imediatamente. Uma vez que esfriam e forem manuseados novamente, a esterilização se perde. Afinal, o ambiente de casa/cozinha não é estéril.

  26. Sem Avatar Luiz Monteiro:

    Olá Vitor. Parabéns pelo site e pelas materias inseridas. Jornalista aposentado, me dedico a fazer conserva de pimenta dedo de moço, em vinagre de maçã, usando sal marinho e açúcar cristal. Os vitros utilizados são adquiridos em um deposito de material usado. As tampas plásticas são novas, mas também as esterilizo na agua fervente, por 3 minutos. Os vidros são rigorosamente lavados e depois esterilizados em água fervente por 15 minutos. Depois de pronta a conserva, fechada com tampa plástica, volto com os vidros na mesma água fervente, por mais 5 minutos, com a tampa para cima, de forma tal que a tampa fica fora dagua. Esse métido está correto?? obrigado e parabéns pelo site.
    Luiz Monteiro. Jau – Sp

    1. @Luiz: difícil saber… até onde sei, a tampa de plástico não tem a borracha de vedação. Logo, o “vácuo” que protege a conserva não é criado.

  27. Sem Avatar Elisabeth R. Elias:

    Olá Vítor.
    Faço molho de pimenta caseiro e já faço bastante pois não é fácil …
    Aí qdo tirar do vidro fechado para um frasco de uso diário, posso voltar a lacrar o vidro mesmo tendo retirado uma parte?
    Parabéns pelo texto!

    Obrigada!

    Elisabeth

    1. @Elisabeth: então, a tampa terá sido usada. Digo, o lacre: a borracha sensível ao calor. E não é indicado deixar esse espaço vazio que na verdade tem ar e pode ter bactérias/fungos que podem estragar o molho. O ideal seria colocar em potes menores e depois que abrir usar o mais rápido e deixar na geladeira.

  28. Sem Avatar Roseli:

    Olá! E para os vidros (tipo garrafas 250ml) para licores? O processo é o mesmo (tanto no fogão quanto no forno)?
    Parabéns polo post e aguardo retorno.
    Roseli Araújo (Contagem-MG)

    1. @Roseli: para a garrafa em si (vazia) até seria. Porém, para os licores já não saberia dizer. Esse modo de esterilizar conservas é para geleias e picles em geral. Para bebidas não saberia dizer como é.

  29. Sem Avatar soraia Jodai:

    Vitor Hugo, tudo bem? Gostei muito da sua dica. Minha duvida é a seguinte: Posso utilizar esse método para guardar sopinhas de bebê? Parabéns pela iniciativa. Obrigada. Soraia

    1. @Soraia: os vidros vazios sim, mas com o produto pronto (vidro com papinha) já não saberia dizer. Esse processo térmico funciona para geleias e conservas com vinagre em geral. Já vi optaram por congelar a papinha, pode ser que funcione. Como não tenho filhos, nunca testei. No caso de papinhas de bebê, o ideal é que elas fossem sempre frescas, né?

      1. Sem Avatar soraia Jodai:

        Obrigada Hugo! É verdade,também acho que as papinhas tem que ser fresquinha, vou ver com a mãe da criança se ela concorda…

  30. Sem Avatar denise de mesquita:

    Boa tarde. gostaria de saber como posso ultilizar o seu método de esterilização nos vidros, para comercializar queijo creme.
    Uma vez que depois do vidro e tampa esterelizado, não posso aquecer a pasta de queijo.
    aguardo e agradeço.
    Denise de Mesquita

    1. @Denise: para produtos derivados do leite não saberia dizer, você terá que consultar a legislação. Ela vai definir ou dar o caminho para qual método de conservação a ser usado. Seria recomendado consultar um engenheiro de alimentos.

  31. Sem Avatar susete:

    um pegador de mamadeira serve para potes menores

    1. @Susete: uia, não tinha pensando nisso! Valeu pela dica :D

  32. Sem Avatar André Boldori:

    Olá Vitor, muito obrigado pela dica, você conhece alguma maneira de Pasteurizar no forno?

    1. @André: pasteurizar no forno ou de modo caseiro é meio complicado, pois no processo tem o choque térmico. E para conservas em geral, o método de escolha é sempre pela água fervente.

  33. Sem Avatar Aldo Ruggieri:

    Boa tarde. Uma dúvida a respeito de um produto apenas. Faço conservas no azeite há alguns anos e nunca houve necessidade da 2a esterilização, pois os produtos estão submersos neste óleo. No entanto, ao fazer sardela, a 2a esterilização não vai “cozinhar” o azeite e fazê-lo perder suas propriedades? Grato

    1. @Aldo: conserva em óleo é diferente de geleias e picles em geral que é mais o meu foco. Se o produto (o ingrediente) conservado não passou por nenhum tratamento de calor, a chance dele estragar existe mesmo que fique submerso em qualquer tipo de líquido.

      1. Sem Avatar Aldo Ruggieri:

        Vitor, longe de mim questioná-lo, mas conservas de beringela, vagem de metro e alcachofra a nossa família (somos italianos) faz há pelo menos 50 anos e elas duram 1 ano sem qualquer “esforço”, somente imersas em azeite. Porém, a sardela que fiz está neste momento no 2o estágio de esterilização (vidros cheios, tampados, e na fervura). Sardela é um produto bastante perecível e acredito que em alguns dias já tenha um resultado para lhe apresentar.
        Obrigado por sua gentileza e presteza.

    2. Sem Avatar Marcelo Micali:

      Aldo, Boa tarde, sou o Marcelo e possuo uma Rotisseria e produzo sardela e alichelas a sardela utilizo o processo de esterilização como descrito pelo Vitor, gostaria de fazer o mesmo com a Alichela, vi seu comentário e gostaria de saber se deu certo a esterilização esquentando os vidros com o produto, se o produto não foi cozido e perdeu suas características.

      Grato

  34. Sem Avatar Ivete:

    Vitor , adorei a sua matéria Faço doces de abobora, mamão verde e duram em torno de 12 meses, salvo os diets que têm menor durabilidade. Alguém sabe como fazer para que durem mais?Abraço

    1. @Ivete: difícil dizer, uma vez que o açúcar age também como um conservante. Não acredito que os adoçantes em geral possuem essa característica também.

  35. Sem Avatar Marcos Leão:

    O cocô faz doces estragarem mais rapido?

    1. @Marcos: depende do doce, de como foi cozido, a proporção de açúcar… vários fatores determinam a validade do produto.

  36. Sem Avatar Luís Felipe.:

    Olá Vitor,
    Estava pesquisando e encontrei seu post, muito legal!
    Consegue me dar uma dica? Quero fazer alguns potinhos com doce de leite para dar de presente (lembrancinha).
    Se eu comprar uma embalagem com grande quantidade e transferir para os potinhos seguindo este processo de esterilização funcionaria?
    Vi que é necessário aquecer novamente o pote depois de cheio, neste caso posso gerar algum problema no doce por tê-lo aquecido?
    Não sei se valeria para o mesmo que a geleia, mas teria ideia da durabilidade?
    Muito obrigado!

    1. @Luís: eu acho que no material do USDA ele comentam alguma coisa sobre, mas nunca testei para conferir. A essência deve ser a mesma, mas com certeza diferenças existem. Afinal, são produtos diferentes.

  37. Sem Avatar Priscila Santana:

    Posso utilizar pote de vidro com tampa de plástico?

    1. Para o processo de esterilização, não. Ela pode derreter e/ou deformar. Sem falar que… eu nunca vi tampa de plástico com a borracha vedante.

  38. Sem Avatar suzane:

    pelo forno não explode não?

  39. Sem Avatar sebastão simões:

    Oi vitor. Voce tem uma didática excelente e não é prepotente e nem se acha o dono de todo o conhecimento. A turma espera mais de voce e confia em voce. Bacana demais.Avança nos conhecimentos e ajuda a turma que teem muita vontade de aprender mil coisas. Boa sorte. Valeu.

  40. Sem Avatar Marco Suman:

    Oi Vitor! Não sei se é de conhecimento de todos, mas existe uma pinça metálica usada em laboratórios que é possivel pegar (quente) praticamente todos os tipos de vidros para compotas. É só pesquisar em imagens no Google por Pinça Tenaz.

    1. Conheço a pinça, usei bastante para tirar os cadinhos da mufla nos meu tempos de laboratório. Problema que não é tãooo fácil achar assim, sem ser em lojas especializadas.

  41. Olá Vitor!
    Excelente o blog.
    Preciso de dica de onde encontrar a formação de custo e preço de venda de conservas de pimenta dedo de moça, cebola, ovos de codorna, repolho, pepino, massa de tomate. É que temos produção orgânica desses ingredientes e estamos pensando em transformá-los para melhorar o orçamento. Quais sites e órgãos devo procurar?
    Muito obrigado.
    Sergio – Palmeira/Pr

    1. Sem Avatar Gabrielly:

      Oi Sergio.
      Procure o Sebrae.
      Eles tem cursos presenciais e cursos online.

      Veja este link do Sebrae SP.
      http://ead.sebraesp.com.br/hotsite/cursos.asp

      E o Sebrae PR disponibiliza alguns materiais gratuitos que podem ser do seu interesse.
      http://www.sebraepr.com.br/PortalInternet/Destaques/Arquivos-gratuitos

      Existe o http://www.ead.sebrae.com.br que quando acessei estava fora do ar, mas deve ser algum problema técnico. Vale a pena tentar acessar e ver se tem algum curso que lhe interesse.

      Além disso as palestras gerenciais geralmente são gratuitas, pelo menos onde moro é, e não precisa ter empresa aberta.

      Espero ter contribuído.

  42. Sem Avatar Neide Vieira:

    Extraordinário a simplicidade das explicações.

  43. Sem Avatar Leonardo Oliveira:

    Fale Hugo, tudo ceto? Cara tenho apenas uma dúvida. Para esterilizar o vidro cheio, no texto, está escrito de 10-60 minutos. É isso mesmo? achei meio estranho, pois pela lógica teria que ser um tempo menor, visto que o vidro já foi esterilizado antes. ou minha lógica está errada? rsrs Valeu – Obs.: Muito bom o post, me tirou muitass dúvidas, foi de grande ajuda.

    1. O tempo de 10-60 minutos com o vidro já preenchido é para esterilizar o produto e não o vidro. Existe essa grande variação, pois depende do que está dentro do vidro. O equilíbrio de açúcar, acidez, pectina e água influenciam nisso.

      1. Sem Avatar Leonardo:

        No meu caso, que faço conservas de pimenta no vinagre, vc saberia me dizer qual o tempo aproximado? Obrigado.

  44. Sem Avatar Mario Donizete da Silva:

    Após todos os processos, inclusive a fervura dos vidros depois de cheios por uns 30 a 60 min. que no caso é para pasteurizar a conserva, para um fechamento hermetico, ou seja com retirada do ar, podemos pingar umas 2 gotas de Alcool 96 graus no centro das tampas, atear fogo e rapidamente fechar a compota, resumindo, o fogo do alcool queima o oxigênio do ar.

    1. Não totalmente, parte será usada. Mas assim que o combustível acabar pode, mas o comburente (oxigênio) ainda pode ter em quantidade. E a fervura pós-fechamento também serve para eliminar uma possível contaminação durante a manipulação, existem bactérias e fungos que não precisam de oxigênio para viver.

  45. Sem Avatar Gabrielly:

    Vitor, faço geléia de morango, quanto tempo devo colocar os potinhos cheios para esterilizar ?
    Você citou de 10-60min, mas qual o tempo específico para a geléia de morango?
    Sabe quanto tempo dura fechado? E depois de aberto?
    Quero presentear minha família neste final de ano e queria fazer uma boa apresentação.
    Moro no nível do mar.

    1. Cada receita é diferente, depende da quantidade de açúcar, acidez, pectina. No material linkado pode ajudar.

  46. Sou adepto da formação contínua. Por isso e não só gostei deste artigo

Trackbacks/Pingbacks

  1. Linkagem de domingo {10} « Vida Organizada

    […] excelente post com dicas para esterilizar vidro de conserva. Saiba como reaproveitar seus vidros e integrá-los á cozinha com […]

  2. Geléia de Jabuticaba, duas tentativas, uma deu certo! Ufa! | brazilianspice

    […] Uma dica ótima sobre como esterelizar os potes, está bem explicadinho no blog do Hugo, Prato Fundo, veja aqui. […]

  3. Linkagem de domingo {10} | Vida Organizada - Dicas de Organização

    […] excelente post com dicas para esterilizar vidro de conserva. Saiba como reaproveitar seus vidros e integrá-los á cozinha com […]

  4. Geléia de maracujá com manga | DigaMaria

    […] é importante seguir todos os passos para esterelização. O Vitor Hugo, do Prato Fundo, fez um bom post sobre isso. Gostou? […]

  5. Linkagem de domingo {10} | Vida Organizada

    […] excelente post com dicas para esterilizar vidro de conserva. Saiba como reaproveitar seus vidros e integrá-los á cozinha com […]

  6. Doces Caseiros e Compotas de Frutas | Casando Sem Grana

    […] Esterilize os vidros antes de colocar os doces […]

  7. @Orionenutri

    Como se faz: Esterilizar Vidros Para Conserva http://t.co/jx1HkZQTBr via @pratofundo

  8. DigaMaria | Calda de morango fácil e rápida

    […] fazer quantidades maiores e conservar fora da geladeira, sugiro a leitura desse post do Prato Fundo sobre como […]

Comentários fechados no momento. Caso queira, entre em contato.

«

»